29
Novembro
2019

Procon orienta consumidores para a Black Friday

Procon orienta consumidores para a Black Friday

foto: PEXELS


Com a chegada de mais uma Black Friday, milhares de consumidores vão às ruas em busca de ofertas, muitos inclusive economizaram dinheiro por meses a fim de aproveitar a data para comprar um produto tão desejado, mas é nesse momento que infelizmente muitos consumidores acabam não se atentando e possivelmente sendo enganados. É preciso estar sempre ligado à validade das promoções, ao valor da oferta, às formas de pagamento e pesquisa de mercado, para que a oportunidade de economizar não vire um problema.

Algumas lojas costumam aumentar o valor dos produtos nas semanas anteriores, criando a sensação ao consumidor de que ele está pagando menos, quando, na verdade, o custo da compra é cobrado integralmente ou muitas vezes até maior. Essa prática fere os artigos 37 e 39 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), e, caso identificada, deve ser denunciada formalmente junto ao Procon.

Ao contrário do que afirmam alguns lojistas, produtos em oferta não eximem as empresas de realizarem trocas em casos de defeito nos produtos. Nessas situações, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) garante o prazo de 30 dias para reparar o problema. Caso não haja a resolução, o consumidor pode exigir sua troca por outro produto em perfeitas condições ou, se preferir, pode pedir a devolução total da quantia paga, ou o abatimento proporcional do preço.

Mas é pela internet que encontramos as maiores e melhores ofertas e, infelizmente, também a maior parte dos golpes. . O primeiro passo para ter uma compra segura é verificar a procedência da loja virtual, além de informações como endereço físico, CNPJ e telefone. Fique atento também aos comentários no próprio site e referências de amigos e familiares, bem como sites especializados – esses são bons indícios sobre a reputação da loja.

Cuidado com e-mails e sites fraudulentos. E-mails não solicitados podem conter anexos infectados e links que podem levar o consumidor a sites fraudulentos ou até mesmo instalar malwares no computador e dispositivos móveis. O recomendado é entrar no site oficial da loja por seu endereço online e não por meio de links duvidosos.

Verifique se o site da empresa possui conexões seguras para proteção de seus dados. Identifique no início do endereço eletrônico a presença do “https”; e de um cadeado ativado na extremidade esquerda da barra de endereços do seu navegador. Ao clicar nesse cadeado, a informação ali presente deve ser a mesma do site acessado. Não forneça seus dados bancários a sites que não possuam certificados de segurança.

Consulte os sites comparadores de preços e produtos online. Guarde todos os registros de sua compra, como e-mails de confirmação, códigos de localização e de realização de compra. De acordo com o artigo 49 do CDC, nas compras feitas pela internet, o consumidor pode desistir da compra em até 7 dias depois do recebimento, sem necessidade de justificativa. Além disso, é importante chamar atenção para o fato de que o custo pela devolução do produto, em caso de desistência, deve ser arcado pela empresa, e não pelo consumidor.

Fique atento à diferenciação de preços de bens e serviços em razão do prazo ou forma de pagamento utilizada no momento da compra. Desde 2017, é permitida a cobrança de valores diferentes para pagamento em espécie e no cartão, desde que previamente informado, de maneira clara, ao consumidor. Lembre-se de que é expressamente vedado, conforme art. 39, V, do CDC, o repasse de taxas de administração em percentual acima do máximo cobrado pelas operadoras de cartões, haja vista que estas já são embutidas no preço dos produtos. Portanto, a nova regra não deve ser utilizada como justificativa para estipular um sobrepreço.

Segundo o coordenador do Procon de Sarandi, Lucas Dornellos, um pouco de calma pode evitar dor de cabeça: “O que mais vemos são consumidores que no ímpeto da compra acabam fazendo péssimos negócios, adquirindo produtos ou serviços que não precisam, por um preço acima do normal, ou pior ainda, comprando em sites falsos. Seguindo todas essas orientações e tendo alguns minutos de paciência na hora de comprar podem evitar horas de dor de cabeça.”

Em caso de dúvidas, denúncias ou reclamações, o consumidor poderá procurar a unidade do PROCON Sarandi localizado na Rua Castro Alves, 952, Jd. Independência, Sarandi/PR das 8h às 17h, ou pelo Disque PROCON (44) 3126-9508 / 3042-3115 / 3126-9510 / 3126-9506, ou ainda pelo Fale Conosco no site do PROCON Sarandi no link: www.sarandi.pr.gov.br/web/index.php/procon/fale-conosco

Submit to Facebook

Ver mais Noticias

NOTÍCIAS

Videos

  • GM de Sarandi recebe certificado de Curso de Aperfeiçoamento Técnico
  • Plano de Mobilidade Urbana
  • Fomento Paraná: Sarandi concede mais de 140 mil reais para pequenos empresários
  • Expoflores acontece de 11 à 15 de dezembro
  • Mutirão para renegociação de dívidas
  • Papai Noel chega em Sarandi
  • Procon orienta consumidores para a Black Friday
  • Prefeitura de Sarandi resolve situação do Raio-X da UPA
  • PROCON Sarandi realiza fiscalização em correspondentes Bancários
  • Obras de infraestrutura contemplam os bairros Ana Eliza, Imperial e Nova Aliança (Fase II)
  • Sarandi utiliza tecnologia para garantir transparência no uso dos recursos públicos
  • Bolsa Família: pesagem de crianças
Prefeitura do Município de Sarandi-Pr.
Rua: José Emiliano de Gusmão, 565 - Centro
CEP. 87111-230 Fone/Fax: (44) 3264 - 8600
CNPJ: 78.200.482/0001-10
Sarandi-Pr./2019

Horário de Atendimento: Das 08:00hs às 11:30hs e das 13:00hs às 17:30hs

IPTU: ATENDIMENTO ESTENDIDO

O Departamento de Tributação estará atendendo em horário de almoço, do dia 02 (segunda-feira) até o dia 20 de dezembro (sexta-feira), das 11h30 às 13h, como forma de proporcionar atendimento diferenciado para os moradores que trabalham e não conseguem vir até a Prefeitura em horário comercial. 

Em caso de dúvidas é possível entrar em contato via telefone pelo (44) 3264-8607 ou 8634.